Voltaire ajuda

Voltaire ajuda

segunda-feira, 6 de março de 2017

67 Gif.

                                                                              Ordem
Eu devia assinar a foto logo após eu terminar de editá-la, mas quase nunca é assim. Deixo para assinar todas as fotos no final e é horrível isso, chato pra caramba.
Chato, mas importante; como a lógica.

Uma vitória respeitável
Esse atraso para editar as fotos da Laura e do segundo ensaio do casal em que a mulher esta grávida, se deve ao fato d´eu ter levado quase uma semana só para organizar os meus arquivos em meus pen drives. Mas eu consegui organizar tudo e realmente foi um feito notável.
Olho para os arquivos organizados em meus pen drives e realmente me espanto por ter conseguido arrumar tudo.
Meu computador que uso para trabalhar é de 2007 e espero que a qualquer momento o bravo simplesmente pare de funcionar. Assim sendo há mais de três anos eu uso pen drives para os arquivos importantes, mas como sou bagunçado tudo acabou misturado e sem espaço.
E o modelo de organização dos pen drives vai servir de modelo para quando eu conseguir comprar os meus primeiro HDs externos. É, pois pen drive velho também para de funcionar.

Brasileiro, demasiado brasileiro
Calor que paralisa e esses pernilongos pequenos e listrados picando o meu pé. E os caminhões carregando soja no Pará, paralisado por semanas em estradas cheias de lama.
Pernilongos são mais irracionais que a gente e somos campeões mundiais na produção de soja.
É privilégio morar no Brasil, apesar de que você poderia ler o jornal sem se preocupar em olhar as datas.

Economia
O que é a economia? Economia é dividida em duas partes. A primeira tem gráficos, tabelas, equações, é bem objetiva mesmo e tão objetiva que a gente imagina os jalecos brancos e robôs silenciosos com suas garras frias (risos). Aqui não tem muitos sustos.
A segunda parte que compõe a economia eu não saberia nominar, penso em algo como “previsões moralistas”. Aqui é o reino de perguntas como:
“O que um pai de família rico fará se perder o emprego e estiver desesperado?”,
“O que um pai de família pobre fará se perder o emprego e estiver confiante no futuro?”,
“O que as jovens universitárias gastarão no seu primeiro mês de seu primeiro emprego, em agosto?”,
“O que as empresas de construção civil farão depois de conhecerem o plano de economia do governo?”,
“Alguém vai abrir uma loja se os juros abaixarem dois meses seguidos?” Aqui nos temos muitos sustos, apesar de a natureza humana seja bastante conhecida.
Então tão importante quanto a Rita Mundim e a Míriam Leitão falarem em milhões, bilhões e taxas e governo isso e governo aquilo, é elas falarem algo como “a tendência é melhorar”, “o Brasil esta começando a entrar nos trilhos”, “a expectativa é de criação de empregos”.
E claro que assim é fácil imaginar o governo federal fazendo pressões. Há quase dois meses os juros abaixaram e a inflação também. A Rita Mundim ficou toda otimista no Jornal da Itatiaia e o Jornal da Band também ficou tooodo contente. Passou pouco mais de uma semana e o otimismo sumiu e como “memória” é algo relativo no jornalismo brasileiro, não houve muitas explicações. Agora, há mais ou menos uma semana, tivemos mais uma vez uma baixa dos juros e uma baixa da inflação. O otimismo agora foi bem mais tímido. A crise feia esta sendo vencida, mas é que a gente anda mesmo assustado.
- Vamos gastar, minha gente! Vamos contratar!
Falo isso por patriotismo, não porque o Governo Temer me pediu.

Leitura
Estou há muito tempo sem ler meus livros. Tô sentindo falta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, tudo jóia?
Escreva um comentário e participe.