Voltaire ajuda

Voltaire ajuda

quinta-feira, 16 de março de 2017

16 de março de 2017.

Rede Bandeirantes de Televisão e os protestos de quinta-feira contra as mudanças na Previdência e nas Leis Trabalhistas
O apoio da emissora da família Saad ao Governo Temer continua cada vez mais me surpreendendo e decepcionando. É incrível. No Brasil Urgente era jogo de futebol europeu (Manchester City versus Mônaco, o último conseguiu uma vitória surpreendente), em vez de destacar a Avenida Paulista lotada em pleno meio da semana. No Jornal da Band os protestos tiveram uma cobertura tímida e cheia de má vontade.

Mais uma lista de Janot com nomes importantes do Governo Temer em apuros? Ora, o refrão transmitido no Jornal da Band é: “Brasília não pode ficar esperando as longas investigações, que sabemos serem importantes e apoiamos, temos que dar continuidade às reformas trabalhista e previdenciária”.

Governismo horroroso! Nem se o Governo Temer fosse legal, esse governismo seria desejável uma vez que ele prejudica o exercício de um jornalismo equilibrado.

FICAR OU IR EMBORA – Ou, por outra: permitir ou não permitir a reeleição? Um apanhado da questão na História, e seus prós e contras, hoje Por Roberto Pompeu de Toledo (Veja, 17 de abril de 1996)
Observações minhas:
- Oito anos é muito tempo, pô! É possível fazer muita coisa em quatro anos, principalmente se tiver respeito pelas boas heranças dos candidatos anteriores.

- Vamos desistir de combater as tentações caudilhescas? As limitações legais aqui são uma tradição brasileira e latino-americana. Brasil e América Latina tem uma longa tradição de coronéis, as limitações legais são uma vitória que custou muito. A reeleição vai contra essa vitória.

- Os governantes vão ficar com uma vontade danada de gastar irresponsavelmente e usar a máquina do governo para tentar vencer a próxima eleição. Já faziam isso quando não tinha reeleição, imagine quando tiver!

- Duas vitórias do mesmo nome e mais uma vitória consecutiva de um nome próximo e etc, e teremos uma feudalização do poder. Sabe aquela coisa de uma ou duas famílias mandando em tudo? Sabe o que é oligarquia? Pois então!

- Reeleição, é verdade, não significa que o ex-chefe vai conseguir vencer. Mas significa que ele provavelmente vai tentar e que ele tem muita chance de vencer. O risco não compensa.

Fernando Henrique Cardoso, o Príncipe da Sorbonne, não deveria ter dado essa coisa horrorosa chamada reeleição de presente ao Brasil. Não devia.
= (

Manhã e Noite
De manhã aquele louva-deus estava livre na parede da cozinha, agora, enquanto escrevo essas linhas perdidas, ele esta preso em uma teia de aranha nesta mesma cozinha. A aranha dona da teia parece estar mordendo a ponta do abdômen do louva-deus. Não sei se injetando veneno ou se ela já esta sugando as entranhas da vítima.

Dei dois sopros e percebi pela reação do louva-Deus que ele ainda esta vivo, mas isso não faz diferença porque o veneno é para paralisar e não matar. Então não da para saber se a aranha ainda esta injetando veneno ou se ela já esta sugando as entranhas do louva-deus.

Fios brancos
Minha barba esta grande, pois faz um pouco mais de um mês que não a corto.

Olha só esse grupo de fios brancos em meu queixo! Será que com esses fios brancos em meu queixo eu consigo, nem que seja por alguns segundos, construir uma ilusão de sabedoria e respeitabilidade diante das pessoas na rua? Eu até ficaria calado, para ajudar a ilusão!

Entrevista: Hélio Jaguaribe
Ditadura do Congresso – O cientista político diz que o parlamento tem mais poder que o presidente e propõe a mudança do modelo eleitoral Por Ricardo Galuppo (Veja, 27 de janeiro de 1999)
Observações minhas:
- Brasil é uma bagunça por misturar presidencialismo e parlamentarismo. Na divisão dos poderes é para os dois “mandarem”, por assim dizer, mas na prática o que acontece é que tem hora que um manda no outro e é sempre no momento errado para o progresso do país.

- Pluralismo de ideias é bom e todo mundo gosta, mas falta disciplina por parte dos membros dos partidos. É ou não é oposição, pô!

- Pluralismo  de ideias é bom e todo mundo gosta, mas todo governo federal eleito tem obrigatoriamente de fazer uma maioria parlamentar; ou para que serve vencer a eleição? Político em campanha, a gente sabe, promete ponte onde nem rio há, mas essa falta de maioria no parlamento faz que uma semana após as eleições todo mundo já esqueceu o que era o plano de governo.

- O voto tem duas partes: o poder mais local e Brasília. Não, não é exatamente isso que acontece hoje no Brasil. Voto distrital misto, como na Alemanha, é uma boa sugestão de alternativa.

- Prefeitos municipais e os governadores dos estados tem que prestar mais atenção em seu quintal e deixar Brasília para os seus partidos. Segurança, postes com luz, limpeza não são problemas suficientes para a administração local?

- Prefeitos municipais e governadores dos estados tem razão quando dizem que Brasília fica com muito dinheiro, mas também esquecem que eles próprios são irresponsáveis na hora dos gastos. Prefeitos municipais e governadores dos estados só não são mais poderosos na hora de ajudar o povo porque são incompetentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, tudo jóia?
Escreva um comentário e participe.