Voltaire ajuda

Voltaire ajuda

domingo, 31 de julho de 2016

31 de julho de 2016.

SORRISO DO CAPITALISMO: 38 ou 279?
O capitalismo, ou melhor, o modo capitalista de produção, assim como o comunismo, ou melhor, o modo comunista de produção: não entrega o que promete. Mas, assim como o comunismo, o capitalismo tem os seus momentos simpáticos. Eu paguei 38 reais pelo "O Povo do Abismo", de Jack London, numa grande livraria. Pela internet eu encontrei o mesmo livro por 279 reais! 

Não sou especialista em economia, mas algumas coisas eu sei mesmo porque, entre outras coisas, ainda não morri de fome (pareço dramático? Sou brasileiro!). Uma das coisas que eu sei é que o coração da economia é uma mistura de ciência (cálculos, previsões, estatísticas e blá blá) e moralismo (as pessoas devem fazer isso, se espera que as pessoas façam aquilo e blá blá). Uma mistura complicada e difícil, se fosse fácil, os economistas já nos teriam deixado um mundo bem melhor. No caso da diferença entre preços do livro de Jack London, como explicar? "Oferta e procura", a única "lei" da economia que a gente ouve falar? Outra coisa mais? Bom, deixa pra lá.

Mas eu só descobri isso bem depois de ter comprado o livro. É que eu estou achando o livro maravilhoso e fiquei imaginado, e desejando, que alguém pudesse ter se interessado pelo livro depois de ter me lido, aqui, quando falei sobre ele. 
Esse é o grande objetivo deste blog: estimular as pessoas a procurarem outros autores, estimular as pessoas a pesquisarem assuntos legais e coisas do tipo. Algo cultural. 
OTELO: - Justiça cultural!
AMOR: - Exatamente!
DESDÊMONA: - Não deixa de ser uma forma de ajudar o planeta a se tornar um lugar mais habitável. 
AMOR (sorrindo, feito uma besta; porque uma mulher bonita o elogiou): - Merci, merci...
DESDÊMONA: - É claro que um blog cultural não é como liderar uma revolta armada... 
OTELO: - Desdêmona, minha orquídea selvagem e meu brilho da lua, quer que eu te conte quantos reis perderam a suas cabeças ao me encontrar?
DESDÊMONA: - Adoro ouvir suas histórias selvagens, meu bad boy e meu caminho contente, adoro! Adoro! (Mordendo os lábios e fazendo um olhar sensual) Adooooooro...
AMOR: - Affz! ...
IAGO: - E pensar que isso tudo aqui é para evitar que pensem que você gastou 300 reais em um livro que nem capa dura tem! Nem capa dura e nem 400 páginas!

AMOR: - Eu tive sorte. 
QUEIJO: - Muita sorte!
AMOR: - Fui na livraria e perguntei se tinha alguma coisa do Jack London. Dos dois ou três títulos, não lembro, que havia ali, eu escolhi aquele que me pareceu ser mais interessante. Tive sorte. Mas é aquela coisa: livraria grande-comercial-bláblá é uma coisa, um vendedor ou um sebo de livros usados, é outra coisa... Os caras sabe valorizar os trem!
QUEIJO: - É e as livrarias grandes podem esperar e tem outras formas de renda, também. Aqui...
AMOR: - Fala, queijo!
QUEIJO: - Faltou dizer aqui, que este blog não é mais um blog cultural que vai salvar todo mundo com o gosto pessoal de um sozinho...
AMOR: - Igualzinho aos jornais, rádios, tevês...
QUEIJO: - Um exército de jornalistas culturais...
AMOR: - Que escrevem para os próprios espelhos!
QUEIJO: - Egocêntricos. Um dos inúmeros riscos que um jornalista corre em seu trabalho. Mas você é isso, mas não é só isso.
AMOR (fazendo careta e coçando a cabeça e com aquele sorriso de orgulho): - Não, não, não, não! Não estamos aqui apenas para isso...
Gosto de escrever, então escrevo.
Gosto de ler, então eu conto.
Quero me divertir com todo mundo, então estudo história.
Quero saber quem sou, então sou outro na hora de escrever e não é que nunca consigo me lembrar se preciso de leitores mais espertos que eu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, tudo jóia?
Escreva um comentário e participe.