Voltaire ajuda

Voltaire ajuda

segunda-feira, 20 de junho de 2016

20 de junho de 2016.

Daí que o “levar vantagem em tudo” seja “apenas” 47% da questão, o principal é: “mostrar, aos outros brasileiros, o quanto você é independente em relação às leis”. É querer mostrar para os vizinhos, parentes e colegas de trabalho, que você só segue a lei quando quer. O quadro é, por assim dizer, mais amplo. 
Quem, no Brasil, durante mais de 300 anos era obrigado a obedecer e a seguir as regras dos outros? Quem? Durante mais de 300 anos? Quem esta me lendo é uma pessoa livre? E qual é a melhor maneira de você mostrar aos outros ao seu redor que você é uma pessoa livre? Vai adiantar um guardinha falar coisas abstratas como “bem da coletividade” para cima de você, vai adiantar?
Viu como nós somos um povo maravilhoso e complicado de lidar? Pois é. Então. Pensar nessas coisas me da um pouco de desespero. Nem na família e nem nas escolas os sinais de uma disciplina que poderia fazer do Brasil uma grande nação são abundantes aos meus olhos. Veja a nossa eficiência quanto ao combate a Dengue e por um trânsito menos trágico! Mas talvez eu esteja sendo pessimista.

“Cleóbulo era grande compositor de enigmas.”
- Morus, o tradutor, comentarista e autor de notas para a edição que possuo de Oráculo Manual e Arte de Prudência (Ediouro, São Paulo, 1979), de Baltasar Gracian.
A frase acima é de uma das notas desse “Morus”. Quem é esse Morus? (risos) Não da para saber. O livro da Ediouro não informa.
Vou procurar informações, também, sobre esse tal de Cleóbulo. Compositor de enigmas é? Adorei, adorei. Somos nós!

Uma família de aranhas esta em festa e bem acima da mesa de jantar. A aranha é do tipo bem conhecida aqui de casa. Meio gordinha e vermelha, ficando principalmente na porta. Vi uma mancha, de mais ou menos uns dois centímetros, e logo percebi o que era: filhotes. 
Festa, festa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, tudo jóia?
Escreva um comentário e participe.