Voltaire ajuda

Voltaire ajuda

domingo, 21 de fevereiro de 2016

21 de fevereiro de 2016.

QUEIJO: - Ei, ei, faz tempo que não apareço por aqui. Por quê? Sinto-me desprestigiado!

AMOR: - Quem sou eu para deixar um queijo triste? Então vamos, vamos!

QUEIJO: - O Umberto Eco morreu sexta-feira passada...

AMOR: - Sim, fiquei sabendo.

QUEIJO: - Ensaísta, polemista, romancista, acadêmico, professor, filosofo e um dos melhores pensadores de nosso tempo. Um nome consagrado, de Buenos Aires a Pequim! O que podemos dizer sobre ele?

AMOR: - A cena da cozinha de “O Nome da Rosa” (Der Name der Rose, Jean-Jacques Annaud, 1986), filme baseado no livro mais popular de Umberto Eco, é ao lado da cena do celeiro de “SuperVixens” (SuperVixens, Russ Meyer, 1975), a melhor cena de amor da história do cinema!

QUEIJO: - Agora lembrei.

AMOR: - Lembrou do quê?

QUEIJO: - Lembrei porque fiquei um tempão longe daqui.

AMOR: - Consola dizer que, entre integrados e apocalípticos, eu sou do primeiro grupo? As vantagens são maiores que as desvantagens?

[ ... ]

O calor, uma cisma, um erro, um desejo que não sossega, uma lembrança cheia de espinhos e pronto: temos uma manhã bem pesada. Bem pesada!
Então vamos devagar e forte, forte e devagar.

Surtei e disparei a fazer gifs animados. O único defeito é ausência de música e a gente sabe que a música é a forma de expressão mais poderosa que existe. Por outro lado, a mudez dos gifs animados me lembra o cinema mudo e o cinema mudo me lembra o início do próprio cinema.

Uma forma de auto sabotagem, que a gente não percebe por parecer tão racional e nobre, é o gosto pela “perfeição”.
Eu tenho muitos livros, mas mais do que livros eu tenho é plano de estudos que de tão elaborados eu nunca consegui cumprir. Quanto tempo eu perdi por causa dessa porcaria! E essa fome que quer devorar todos aqueles livros de uma vez, como se eu fosse morrer amanhã!
Devagar e forte, forte e devagar.
E eu sempre soube que estava fazendo besteira. Auto sabotagem mesmo. Mesmo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, tudo jóia?
Escreva um comentário e participe.