Voltaire ajuda

Voltaire ajuda

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

23 de novembro de 2015

Ideologia é só quando a gente já viveu tudo e olha para trás. Tipo quando a gente esta no leito de morte e descobre-se um marxista ou liberal, mas a imagem aí para quem esta do outro lado do monitor do computador não precisa ser dramática assim.
Enquanto vivo são apenas simpatias. Embora simpatia seja quase amor. 

Essa coisa de mulheres fortes e assanhadas. Ah, não seria apenas o desejo de ser conquistado? Não seria apenas a confissão de que nunca se entregou? Nunca quis se entregar? Que de boa fé não é capaz de entregar o peito? E que agora não acha que há algo neste mundo que mereça isso de você? "Por favor, me conquiste! Seja violenta garota, mande em mim, mas consiga me conquistar!Por favor! Pau duro é legal, mas eu poderia ter mais do que isso? Me torne um escravo por dentro e por fora!" Escravidão parcial é o que mais tem por aí. Mas no íntimo você sabe que não acontece. Exercícios de imaginação e esperança. Gratuitos e baratos. Baratos.

E o radio do outro lado da parede tocando as mesmas músicas de sempre. Todas as músicas do mundo e é tocado as mesmas músicas de sempre no mesmo horário. Que bela metáfora para o destino opressor a apertar a minha garganta com gravatas, silêncios e contratos eternos e maldiçoados.

Esse dormir tarde é uma forma de atrasar o próximo dia. Tosquera dos inferno. Não adianta e estraga com preguiça o dia seguinte, tão temido. Achando no íntimo que as únicas regras que seria capaz de encontrar e seguir de todo coração e mente seriam aquelas que Moisés recebeu no Sinai. Mesmo assim, você seria mais exigente que o disciplinado Moisés e humildemente esperaria que Deus tivesse pelos menos um crachá para ser identificado... 

E depois de um dia inteiro tentando escrever, finalmente consigo? Finalmente! Deixa eu saber que isso é uma vitória! Olho o que escrevi e não o conteúdo. Letras pequenas no computador. Muitas. Quantidade antes da qualidade. Gostei. Momento Rossini! Tenho coisas e coisas a dizer! Posso gritar? 

Seria depressivo se essa tempestade interna toda, maior que o universo infinito lá fora, fosse apenas hormônios em desiquilíbrio e neurônios que estão brigados. Seria algo oco. Verossímil, mas como é feio: deve ser falso. Por outro lado, resolver essa tempestade por meio de conversas industrializadas e com final hollywoodiano; também é feio e, portanto, falso também.

Estou cansado. As palavras e mais palavras podem sair e eu posso até conseguir juntar algumas em algo realmente excepcional; mas estou com sono. Quero que segunda-feira seja assim também. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, tudo jóia?
Escreva um comentário e participe.