Voltaire ajuda

Voltaire ajuda

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

A ÁGUA SEM FIM DE TALES

 
O milagre brasileiro: o fato deste pais gigante não ter se partido em movimentos separatistas e o fato de, apesar de todos os tesouros inimagináveis, sermos tão pobres.

O padroeiro da filosofia grega: Zeus. É, porque não?

Deus salva,
Arte salva,
Matemática salva;
Mas tudo isso nos salva de que mesmo? Esqueci.

TALES DE MILETO (?625/4 – 558/6 A. C.?)

Nasce a filosofia ocidental. E começamos materialistas.

Uma natureza ou mais de uma, que permanece a mesma e que gere e depois engole todas as coisas. Materialista e ecologicamente correto!

Oceano e Tétis. Adoração. Amor e respeito.

Tales de Mileto é o ápice de algo bem antigo.

A água não acaba. T

odas as coisas estão cheias de deuses? Parece festa, algo bem alegre. Gostei disso. E assim é pois alma esta misturada com o eterno.

“... que é em si e para si ...”

O pricípio, o absoluto. Assim a gente se afasta do mundo múltiplo e bagunçado que nossos sentidos oferecem. A abstração entra em cena. A água escolhe Tales de Mileto e assim nasce a filosofia ocidental.

O Hegel gostava do Tales de Mileto, mas lamentava que para “um” absoluto a água era muito visível e limitada, apesar de tudo.

NIETZSCHE APAIXONADO 22:

Ser feliz sim! Buscar a felicidade sim! E não é preciso de muito, diz Nietzsche.
A mais poderosa forma de manifestação artística, que outros chamam de “música”, é suficiente. Bom, exagero, mas é quase isso. Veja os alemães, por exemplo, eles acham que Deus toca cuíca e pandeiro! Brincar é outra coisa que ajuda a sermos felizes. Isso inclui brincar com as palavras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, tudo jóia?
Escreva um comentário e participe.