Voltaire ajuda

Voltaire ajuda

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

NIETZSCHE APAIXONADO (43 a 46)

 
43
As coisas que movem o coração não são todas iguais, mas achamos que são.
Que são todas coisas fracas e que precisam de ajuda. Nem todas são assim e foi o hábito que nos fez pensar desta maneira.

Mas que hábito? Justamente o fato de mover nossos corações por coisas fracas e que precisam de nossa ajuda. Rapidamente pensamos que tudo que mexa com os nossos corações seja daquele jeito.

Não é não, lembra Nietzsche. Aquilo que é forte e poderoso também pode nos tocar o fundo do coração.

44
Compaixão é bom e todo mundo gosta. Mas Nietzsche faz um alerta: a compaixão tem uma companheira perigosa.

Quem? O desejo inconsequente.
É assim: você sente compaixão e deseja ajudar a pessoa. Certo, mas... Você pode não prestar muita atenção. Você exagera e erra o alvo fundamental, por assim dizer. As consequências da ajuda acabam sendo negligenciadas por você. Você erra na dose do remédio e não se preocupa com as causas da doença, entende?

A compaixão precisa de um momento de atenção e objetividade, nem que seja muito frio fazer isso.

45
As grandes obras de arte de todos os tempos! Como lidar com elas?

Começamos tendo humildade e não cara de pau de dirigir-nos a elas na base do “você”, com uma intimidade que não temos e na maioria das vezes nem merecemos. Um pouco de humildade e respeito não fazem mal aqui.

46

Somos racionais. Gostamos muito de pensar que somos racionais. Animais, mas animais racionais. Orgulho e orgulho grande, dado que sabemos muito bem a dificuldade de sermos racionais...

Então fazemos planos, projetos bem racionais. Sensatos e que estão bem distantes, alheios ás coisas do coração. Do afeto. Mas eis que... Na hora H a coisa não se realiza. Na hora de executar este projeto orgulhosamente racional, o sabotamos em nome daquilo que é orgulhosamente teimoso; justamente a nossa parte não racional. Ah, o coração...

“A razão é escrava das paixões.”; famosa afirmação de David Hume. O nosso Nietzsche acrescenta: além de escrava, a razão é uma vergonha para a vontade.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

NIETZSCHE APAIXONADO (37 a 42)

 
37
Quando o trem ta feio, quando a gente deve no mercadinho do bairro, quando estamos aflitos diante de uma decisão fundamental o u estamos enfrentando um problema de saúde; ainda sim gostamos de pensar no quanto as outras pessoas nos admiram.

A situação é ruim, mas mesmo assim pensar no que os outros pensam a nosso respeito nos consola.

Bobagem? Vaidade? Talvez não, com essa atitude podemos continuar brilhar. Isso mesmo, a continuar a brilhar. Para os outros e para nós.

38
Ficar alegre pó o outro estar alegre? De verdade, de verdade mesmo? Senhoras e senhores, isso é muito raro.
É coisa de animal, mas de um animal superior. Realmente superior.

39
Uma partida de futebol. O goleiro faz uma defesa espetacular, fantástica. Nem ele sabe como fez aquela defesa. Mesmo assim ele banca o falso superior ao reclamar aos seus colegas de time que ele tem que fazer tudo sozinho.

Pois bem, diz Nietzsche, nós todos somos iguais aquele goleiro. Mesmo sem saber como fizemos uma coisa espetacular, fazemos de tudo para parecer que não foi ao acaso.
Nada de acaso, foi culpa nossa. 4

40
Ele pensa, é inteligente. Mas é fraco. É fraco, mas não quer parecer fraco.
Nem que para isso ele tenha que ser injusto e cruel. Ou seja: um idiota.
A vaidade, a vaidade e a soberba...

41
Humilhação é insuportável. Absolutamente insuportável.
Mesmo que seja na forma de uma pequena sujeira quase invisível em um iate de 60 milhões de dólares dado de presente à gente.
Seria humilhação e humilhação é insuportável.

42
A loucura da luta pela fama. Hoje em dia, século XXI ou segunda metade do século XIX, podemos ter aqueles que estão dispostos a queimar e destruir até os seus próprios templos.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

OS CAMINHOS DAS MANIFESTAÇÕES E O GATO CHESHIRE


OS CAMINHOS DAS MANIFESTAÇÕES E O GATO CHESHIRE

Em "Alice no País das Maravilhas".
- Qual o caminho que devo tomar?
 - Depende de onde você quer chegar, minha cara.
- Não importa muito para onde...
 - Hum, então não importa muito o caminho.
- Desde que eu chegue a algum lugar...
 - Tudo bem, desde que caminha bastante.

Líderes agora fariam todos irem para a casa mais cedo. Cedo demais, talvez.

Os políticos sumiram. Seria legal o espetáculo inédito deles serem espontãneos pela primeira vez! E pagar um mico tão grande quanto o Ronaldo ou Arnaldo Jabor.

As pautas das reivindicações podem ser as mesmas, mas o coração que mantem quem segura os cartazes são bem diferentes. Isso pode assustar, mas democracia é assim. Vamos saber dialogar. Isso também ia ser inédito.

O Brasil é grande e diverso. Partidos são necessários, mas partidos de verdade.

Queremos que o Brasil mude. Não queremos reconstruir o país a partir do zero. Que os políticos tomem medidas sérias. Só isso.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

MINHA POLÍTICA

Sophie Scholl
MINHA POLÍTICA

Meu esquerdismo é mais emotivo e reativo, que dogmático. Os blogs de esquerda e extrema-esquerda do meu GoogleReader eu não lia. Achava eles chatos. (risos)

Não sei o que quero, mas posso desenhar no escuro sem régua o que não quero na política.

Contra a violência e a favor da justiça, mas não me perguntem o que é justiça. E aquele anarquismo básico diante de qualquer líder seguro demais de si. Nariz de quem é de Minas Gerais é experiente, sabe? Sem partido, a não ser aquele da Mafalda.

Acho que ficar muito satisfeito com as coisas é morrer um pouco. Sei lá.

Um medo? Que as manifestações no Brasil parem ou que continuem e a imprensa as considere normais. Tem que manter uma surpresa, um certo frescor.

Acabei de achar uma certeza aqui no canto esquerdo do peito: que as ruas nunca mais fiquem vazias. Até que vire atração turística para os turistas estrangeiros participarem, nem que seja apenas chamar o prefeito da hora de "babaca!"

quarta-feira, 19 de junho de 2013

VOCÊ CONCORDA COM A EQUAÇÃO DE SÓCRATES?

O lugar do povo.

LONGA VIOLÊNCIA: A HISTÓRIA DO SÉCULO XX 14:
(Obrigado Asa Briggs e Abril Cultural!)
Para a nova mulher que surgia no mundo o acesso ao mercado de trabalho era fundamental.
Elas conquistaram e foi rápido, viu?

Em 1911 já existia um verdadeiro exército de funcionárias de escritório. Antes a profissão de médica já havia sido ganha. No jornalismo as mulheres eram aconselhadas a começaram pela profissão de fotógrafo. Muito legal.

Algumas pioneiras:
Florence Nightingale,
A costureira Lucile,
Beatrice Webb
e Marie Curie.

LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZONIDAS 24:

Será que a revista Caros Amigos já melhorou muito da época que Lúcio escreveu o livro “O Jornalismo na Linha de Tiro”?

NIETZSCHE APAIXONADO 36:

Sócrates era decadente. Outros sintomas disto:
Ele era muito, mais muito lógico e isso era muito, muito inútil.
Ele era fraco fisicamente e acaba tornando-se mal.
Sócrates era uma piada ambulante!

Razão não é igual a virtude, que não é igual a felicidade.
Não são iguais, mas Sócrates acreditava que era! Que trem doido, Sócrates!
Você não percebe que o instinto ancestral grego é contrário a isso?

terça-feira, 18 de junho de 2013

ANN VERONICA ESTA RECLAMANDO

Brasil, 17 de junho de 2013.
Que nunca mais pare.
Que nunca mais seja o mesmo.
LONGA VIOLÊNCIA: A HISTÓRIA DO SÉCULO XX 13:
(Obrigado Asa Briggs e Abril Cultural!)

Mas de onde nasceria a nova mulher?

Bom, a mulher de classe média eram, por volta de 1914, basicamente duas coisas:

A)De acordo com o luxo com quem vivia, um símbolo de status para o marido.

B)Uma rosinha de brinquedo para a sua família, protegida das coisas ruins deste mundo e das coisas boas deste mundo também (o conhecimento sobre o próprio corpo era mínimo, para ficar neste exemplo).

Vamos ouvir a heroína de Herbert George Wells, o famoso H. G. Wells, Ann Veronica:

“Eu sinto como se meu crescimento tivesse sido interrompido, como se eu tivesse sido privada da luz da vida (...) assim como uma espécie de fantoche que faz as coisas que os outros determinam (...) Eu quero ser uma pessoa, eu mesma, dirigindo a mim própria. (...) Sou uma jovem à procura de emprego, liberdade e desenvolvimento pessoal.”

LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZONIDAS 23:

Aprender. Aprender sempre.

Hipólito da Costa:
imprensa livre precisa de um remédio para momentos de crise: imprensa livre.
Entenderam?

Paulo Maranhão:
não cometer o erro dele e invadir a privacidade dos outros, mesmo que estes sejam antagonistas furiosos.

NIETZSCHE APAIXONADO 35:

Sócrates não era muito rico e nem muito bonito.

Bom, Nietzsche faz uma interpretação sobre a classe social de Sócrates e da sua aparência.

O grego antigo adorava, no sentido rigoroso da palavra “adorava”, a beleza; e dava-lhe todo um sentido sublime e metafísico.

Então pergunta Nietzsche: Sócrates era um grego? Sócrates era um primitivo? Sócrates era apenas um criminoso? Talvez, para conhecer Sócrates, fosse preciso apenas entender que ele era um monstro.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

DOENÇAS VENÉREAS: UM A CADA DEZ

Muitas pessoas saindo às ruas protestar por uma melhor qualidade de vida no Brasil.
Estou com elas.

LONGA VIOLÊNCIA: A HISTÓRIA DO SÉCULO XX 12:
(Obrigado Asa Briggs e Abril Cultural)

As feministas no início do século XX tinham muitos motivos para ficarem tristes: mulheres trabalhavam muito e ganhavam pouco, não podiam votar e todas aquelas coisas que já conhecemos.

Mas um dos motivos merece destaque nos dias de hoje: um a cada dez estadunidense era portador de doenças venéreas no início do século XX, eles as contraíam em prostíbulos e depois acabavam contaminando as suas esposas.

LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZONIDAS 22:

Documentos oficiais. São públicos e ninguém lê. E tem segredos que acabam refletindo nos estômagos dos brasileiros pobres.

Isidore Feinstein Stone, Marx e Hegel.

NIETZSCHE APAIXONADO 34:

Qual o sentido da vida? Qual o objetivo da vida?
Acho que todo mundo já pensou nestas questões razoáveis, mas aqui há um terrível perigo segundo Nietzsche: o de colocar a vida como um problema. Isso, para o nosso filósofo apaixonado, é sintoma de doença.

Nós vivemos e temos que viver; e não fingir que somos juízes quando na verdade somos parte interessada neste julgamento.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

EUTANÁSIA E SUICÍDIO



Eutanásia é assassinato. Tirar a alimentação do paciente terminal e esperar ele morrer de fome não é. Distinção interessante.
As pessoas saem da igreja e antes de entrar no carro já esqueceram o que ouviram sobre misericórdia, piedade e responsabilidade.
Assisti ontem (6 de fevereira de 2013. Quando encontrei e coloquei esta imagem em minha página no FaceBoo.) Uma das histórias mais impressionantes que conheci. A coragem desse homem devia servir de modelo, concordando ou não com suas idéias.

PENSAMENTO CONTRA O SUICÍDIO E COMENTÁRIOS MEUS

“Um homem que se mata a si próprio, ou é um louco ou tem um coração tão danado que desconhece os remorsos.” (A. Herculano)
O suicida não pode ser um normal. O suicida deve sentir culpa e remorso por causa do sofrimento que causará em seus parentes, amigos e conhecidos. A. Herculano sabe como se colocar no lugar do outro, hein?

"O suicídio é o mais imoral dos delitos.” (M. Bontempelli).
Parece que Bontempelli quer prender não só quem tenta se suicidar, mas também quem conseguiu se suicidar! Afora o estímulo ao medo. Bontempelli tenta resolver o problema do suicídio por meia da força policial.

“O suicídio é sempre o crime de um fraco.” (De Paulmy)
De Paulmy sofreu muito e resistiu. Adiantou nada pois não consegue ir além da ofensa na hora de estimular as pessoas a serem fortes.

*As citações foram retiradas do verbete “Suicídio” do volume três do DICIONÁRIO DE PENSAMENTOS. Editora Formar Ltda. Eu acho que os livrinhos são de 1971.
Interessante sobre esses livrinhos é a opinião expressa sobre a mulher. Numa hora é romãntica em outra é de um machismo de assustar.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

A ETIQUETA



Quando fui desafiado no Orkut. O primeiro achava q eu era um ET, o outro achava q a Matemática não era humana. Modéstia a parte, eu me saí bem.

A ETIQUETA E O INTRÍNSECO

Olhar para as coisas da natureza e se encantar é compreensível. Olhar para o céu estrelado e julgar tudo aquilo como uma verdadeira obra-prima de algum artista é irresistível.

 Agora...
É preciso admitir que quem classifica uma célula de "complexa", quem diz que o universo é "organizado" e que tudo parece feito "de maneira inteligente" para a criação de vida na terra são... seres humanos. Apenas seres humanos. E todas essas classificações só fazem sentido em um mundo de seres humanos.

A dificuldade dos religiosos é demonstrar que essas classificações são intrínsecas às todas as coisas ou pelo menos mostrar alguma etiqueta onde esta escrito "Made in Deus".

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

O ESPINHO INESPERADO


Foi a mais importante revolução do século XX: o nascimento da nova mulher.
Ela comia em restaurantes públicos!
Elas nadavam em piscinas mistas!
Oh! Oh! Oh! Oh!

Não, elas não eram as suas mães e nem as suas avós. Elas queriam uma outra vida.
Eu escrevi “querer”? Não, o correto é “exigiam”!

As mulheres pobres que trabalhavam na indústria e as mães e filhas da classe média seriam as primeiras a desabrochar e mostrar ao mundo dominado por homens o poder de seus espinhos.

(Obrigado Asa Briggs! Obrigado Abril Cultural!)
LONGA VIOLÊNCIA: A HISTÓRIA DO SÉCULO XX 11:

LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZONIDAS 21:

O dinheiro vai para lá, depois o dinheiro vai para cá.
O dinheiro sobe, o dinheiro desce.
Amigo vira inimigo e depois vira amigo e depois inimigo e depois amigo e depois inimigo...


NIETZSCHE APAIXONADO 33:

Sim + Não + Uma linha + Uma meta = A felicidade.
Você escolhe e sonha. Coragem. A cabeça e o coração nas nuvens.
Não é exatamente uma fórmula que poderíamos dizer assim facilmente “inovadora”, mas o importante é entender que ela é razoável e tremendamente difícil de seguir. 

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

AS FORÇAS ELEMENTARES SE REVOLTAM

                                                          
Foram anos difíceis para a Grã-Brtanha. O período eduardiano (Rei Eduardo VII, que sucedera ao período da Rainha Vitória e que costumam dizer que dura até a eclosão da Primeira Guerra Mundial) assistiu a uma sociedade marcada pela desigualdade social.
A visão lúcida de Charles Masterman e o pioneirismo de Lloyd George (que propôs um corajoso orçamento que se propunha bater de frente ao problema da pobreza e da “inanição”) não foram suficientes. A política não foi suficiente.

Entre 1900 e 1914 foram tantas greves que pareciam mesmo que havia uma guerra interna na sociedade inglesa.
Trabalho versus Capital.
Classe versus Massa. Assim mesmo, tudo escrito com maiúsculas.
As “forças elementares” da sociedade se ergueram.

(Obrigado Asa Briggs e Abril Cultural!)
LONGA VIOLÊNCIA: A HISTÓRIA DO SÉCULO XX 10:

LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZÔNIDAS 20:

Agressões de empresários, de políticos, de policiais... É cada história pior que a outra. Agonia dos diabos! Nem... Assim fica fácil esquecer qual é a vantagem em ser jornalista.


NIETZSCHE APAIXONADO 32:

Eu tenho razão e riem de mim por motivos injustos. Não me importo.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

ENSAIO SOBRE A TRISTEZA BRASILEIRA 5

 
O bandeirante paulista e o seu grande momento.
A influência “semítica” e a importância da “andogamia” e da “seleção” para o novo tipo se revelar forte para cumprir a missão que ele mesmo se propôs.
As palavras são do Paulo da Silva Prado e o espanto é meu.

Antônio Raposo Tavares. Apenas Antônio Raposo Tavares. Alguns nomes não precisam de adjetivos, sejam para negar ou afirmar.

Em outras terras a loucura coletiva passava rápido e logo se transformava em algo sólido e saudável para o país como uma “indústria”. Entende? A economia ficava forte, sustentável. Aqui no Brasil não. A loucura continuou: forte, sangrenta, egoísta e o resto do país e do povo que se danasse.

O Brasil sempre trocou um futuro de ordem e progresso para todos por um presente hedonista para meia dúzia de poderosos.

 
LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZÔNIDAS 19:

Jornalismo é fato.
Quantos adversários do Lúcio Flávio Pinto o criticam com base em fatos, informações? Poucos querem dialogar. Isso pode até envaidecer o Lúcio ao dar-lhe segurança em sua caminhada, mas eu acredito que no fundo ele deve é ficar meio triste mesmo.
Quanta pobreza! Como esse deserto é grande e vazio, entendem?

NIETZSCHE APAIXONADO 31:

Esses e eles.
Os degraus que usei para subir e alcançar o que eu queria. Enquanto isso, de longe, muitos acharam que eu estava apenas dormindo na parte de cima do beliche.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

ENSAIO SOBRE A TRISTEZA BRASILEIRA 4

 
E demorou Portugal perceber que era melhor começar a povoar o Brasil. Precisou bater a cabeça na parede muito tempo ao procurar o ouro para perceberem que povoando o Brasil essa procura seria muito mais facilitada.

E Paulo da Silva Prado falava em “parasitas sedentários da burocracia metropolitana”. Muito atual, muito Brasil em 2013.

LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZÔNIDAS 18:

Izzy Stone e seu “I. F. Stone Weekly” continuam sendo o que sempre foram: uma estrela-guia para todos os jornalistas em busca da pureza.

 
NIETZSCHE APAIXONADO 30:

Juntinho, juntinho?
Na frente de todos?
Ou ir apenas por vocês mesmo?

Há o objeto de desejo e o desejo como objeto a ser investigado. Fiquem atentos, senhoras e senhores!

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

ENSAIO SOBRE A TRISTEZA BRASILEIRA 3

 
Para Paulo da Silva Prado entre os desejos que estiveram na origem do que hoje chamamos de Brasil, o mai importante foi a cobiça.
Mais até do que a luxúria. O desejo de ter ouro e pedras preciosas. Foi uma loucura coletiva. Uma loucura no sentido estritamente acadêmico do termo.

“Quanto mais ao Oriente, mais riqueza”, dizia um ditado da época do descobrimento do Brasil pelos portugueses. E a Gazeta Alemã em 1514 já falava sobre um lugar onde até os soldados tinham armaduras de ouro...

Eldorado no século XVII ou a China no século XXI nos queremos dinheiro para ser feliz. E não há oração ou frase decorada e bonitinha repetida que quebre esse sólido desejo.

LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZÔNIDAS 17:

Um nome, uma lenda: Paulo Maranhão.
Que tipo de jornalista e de pessoa ele era? Tipo, ele era calmo?
-Calmo? Basta dizer que em sua lápide podemos ler: “Aqui, sim, tenho paz”.

 
NIETZSCHE APAIXONADO 29:

Você gosta de uma vitrine?
Você gosta de suar?
Ou você prefere ser ignorante?

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

UMA BRINCADEIRA COM OS MEUS LIVROS

 
Homero.
Homero é importante porque ele é um “super pai”. Pai dos gregos antigos que por sua vez são os “pais” do Ocidente. Não é exatamente assim, mas é quase.

Dostoiévsky.
Como posso gostar de Fiódor Dostoiévsky se todo mundo fala bem dele?

“O Pequeno Príncipe” de Antonie de Saint-Exúpery.
O mais profundo livro que conheço.

Bertrand Russell foi minha primeira paixão intelectual. Isso não é uma informação, é uma desculpa e um ataque.

Quem matou a Marta Jane?

Alguém aí tem a Coleção Serelepe?

A coleção Biblioteca Salvat de Grandes Temas é uma coisa fofa, como um filhote de coruja.. Já falei e falo de novo: a linguagem formal e careta de enciclopédia me conquista fácil.

É o primeiro livro de Arthur Schopenhauer que eu li e até acho que imitei ele na parte de denunciar um mentiroso e sua lista de escravos cúmplices.

LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZÔNIDAS 16:

Silas Assis, um mau exemplo.

 
NIETZSCHE APAIXONADO 28:

Nietzsche, assim como Diógenes há mais de mil anos atrás, também procurou por seres humanos. E assim como aquele grego se decepcionou.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

OS 30 PÁSSAROS

 
(Depois de assistir "A Conferência dos Pássaros", da séria AS RELIGIÕES DO MUNDO - HISTÓRIAS ANIMADAS. Que série!)
Mais que um líder, um amigo.
Dando um bom exemplo.
Mostrando-nos como realmente somos.
Ninguém vai se arrepender.
Mais importante que tudo, até do que o ouro.
Amantes não pensam em si mesmo. Aquela dose exata de egoísmo que marca a diferença entre ser ocidental e ser oriental. No amor você se entrega, mas se entrega até quando?
Não terão que partir.
Onde estamos?
Onde quiserem estar.
Encontrem o seu caminho!
Hoje o seu caminho é comigo.
Se não achar, esqueça a direção que tomou!
Deixando o seu mundinho seguro e vivendo uma grande aventura!
Não tenham medo!
Confiem!
Somos um só!
Não somos importantes, somos apenas nós.
O grande mergulho!
O pulso firme no momento!
Estudem o que veem!
Para encontrar o sucesso!
Através de mim!
Voltar a sermos nós mesmos.
Livre da miséria e da dor.

LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZÔNIDAS 15:

O desafio para todos os dias: acreditar na raça humana e na história dos homens.

 
NIETZSCHE APAIXONADO 27:

Você é você mesmo? Vive uma vida autêntica?
Talvez você seja uma atriz ou um ator representando uma peça, um texto. Talvez não, talvez você seja mesmo é uma mentira ambulante. Ou ainda pior, uma imitação de um mentiroso!

sábado, 26 de janeiro de 2013

O BRASIL NUNCA TERÁ UM LLOYD?

 
Lloyd George tem a iniciativa inédita e história de tentar bater de frente com a desigualdade social ao propor em 1909 um novo orçamento para o governo inglês. Parece pouco ou parece muito? A perspectiva é algo complidado. Para mim foi muito.

No Brasil em 2013 ainda não sabemos fazer orçamento para a nossa administração pública. É medida provisória e aquele aperto de mão sinistro em canto escondido no corredor em alguma câmara de vereadores de algum pequeno município do interior do Brasil. (A frase foi longa, o problema é ainda maior).

LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZÔNIDAS 14:

A capital do Pará, Belém, e os membros do Partido dos Trabalhadores. Era 1996. E agora? Como ia ser agora? Conquistar o poder, ter o governo em mãos e depois pensar nas reformas sociais? Triste. O mais deprimente é o desperdício. O desperdício de oportunidade, entendem o que quero dizer?

 
NIETZSCHE APAIXONADO 26:

Você é diferente e sabe disso. Esta a frente de todos. Muito bem, parabéns a você. Mas agora me diga uma coisa: qual é o seu estilo?

Sim, o seu estilo.
Você esta a frente de todos como um líder religioso a salvar almas?
Você esta a frente de todos após se descobrir o mais especial de todos?
Você esta a frente de todos como resultado de sua traição?

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

VICENTE SALLES E 1901

 
“Penúria pública, ostentação privada. Este talvez seja o âmago da questão.” – Charles Masterman. A Grã-Bretanha era desigual no período Eduardiano. Eu queria saber como era a Londres de 1901, por exemplo.
Não posso, viagem no tempo ainda é um pouco complicado. Fico aqui por enquanto, pensando triste se no Brasil alguém pensa com a mesma lucidez de Charles Masterman.

LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZÔNIDAS 13:

Vicente Salles, um grande autor e um grande interlocutor a com qual sempre é possível aprender um pouco mais.

 
NIETZSCHE APAIXONADO 25

Todas essas críticas nossas à moral, de que servem afinal? Ajudam? Atrapalham? Somos como os anarquistas que com um punhal nas costas do príncipe colocamos em chamas o reino que amamos e que queríamos salvar?
Menos, menos. A moral nunca foi criticada como foi por nós (Nietzsche). Ela precisa e quer os nossos puxões de orelha.

domingo, 20 de janeiro de 2013

ESPELHO PERIGOSO E OS DOIS PROTESTOS

 
 
Folheando o volume “A Contestação Juvenil” da Biblioteca Salvat de Grandes Temas.
Livrinhos poderosos esses. Adoro a linguagem “careta” das publicações desse tipo. Tipo enciclopédia, entende?

Bom, o conhecimento que pesquei foi esse:
Protestos temos em todos os países
Mas Protesto contra fome é coisa de país pobre
País rico é mais “abstrato”. Aqui o protesto é sobre mais humanização na sociedade, mais liberdade e tal.

-E no Brasil?
-Aqui é tudo misturado, mas acho que estamos na parte dos países pobres ainda.


NIETZSCHE APAIXONADO 24:

Ser psicólogo é algo sério, o que não quer dizer que não aja momentos engraçados! Por exemplo, pode acontecer de se você ser um psicólogo você ter medo de... espelhos! Um psicólogo enxerga melhor quando não olha muito para si mesmo.

sábado, 19 de janeiro de 2013

ARRUME AS GAVETAS

 
LÚCIO FLÁVIO PINTO E SUAS LIÇÕES AMAZÔNIDAS 12:

Uma dúvida. Uma discussão. Uma lei, uma medida tomada por alguém em algum lugar... Sei lá. Temos uma discussão.
Certo: e o papel da imprensa? Organizar o trem. Conversar com as pessoas envolvidas, compreender e divulgar os pontos de vista diferentes.
Ajudar o público a compreender a questão e a atomar a sua decisão sábia.

NIETZSCHE APAIXONADO 23:

O nosso pensamento não deve fumar, não deve comer carne gordurosa, não deve abusar do sal e nem do açúcar e o nosso pensamento não deve se esquecer de fazer exercícios de maneira regular. Lógica é um paciente no hospital à espera da morte. O nosso pensamento deve ser um mais belo cavalo selvagem correndo em uma planície verde e banhada pela mais forte luz do sol. Na primavera.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

A ÁGUA SEM FIM DE TALES

 
O milagre brasileiro: o fato deste pais gigante não ter se partido em movimentos separatistas e o fato de, apesar de todos os tesouros inimagináveis, sermos tão pobres.

O padroeiro da filosofia grega: Zeus. É, porque não?

Deus salva,
Arte salva,
Matemática salva;
Mas tudo isso nos salva de que mesmo? Esqueci.

TALES DE MILETO (?625/4 – 558/6 A. C.?)

Nasce a filosofia ocidental. E começamos materialistas.

Uma natureza ou mais de uma, que permanece a mesma e que gere e depois engole todas as coisas. Materialista e ecologicamente correto!

Oceano e Tétis. Adoração. Amor e respeito.

Tales de Mileto é o ápice de algo bem antigo.

A água não acaba. T

odas as coisas estão cheias de deuses? Parece festa, algo bem alegre. Gostei disso. E assim é pois alma esta misturada com o eterno.

“... que é em si e para si ...”

O pricípio, o absoluto. Assim a gente se afasta do mundo múltiplo e bagunçado que nossos sentidos oferecem. A abstração entra em cena. A água escolhe Tales de Mileto e assim nasce a filosofia ocidental.

O Hegel gostava do Tales de Mileto, mas lamentava que para “um” absoluto a água era muito visível e limitada, apesar de tudo.

NIETZSCHE APAIXONADO 22:

Ser feliz sim! Buscar a felicidade sim! E não é preciso de muito, diz Nietzsche.
A mais poderosa forma de manifestação artística, que outros chamam de “música”, é suficiente. Bom, exagero, mas é quase isso. Veja os alemães, por exemplo, eles acham que Deus toca cuíca e pandeiro! Brincar é outra coisa que ajuda a sermos felizes. Isso inclui brincar com as palavras.

domingo, 6 de janeiro de 2013

AÍ VOU!

 
PARAÍSO AÍ VOU EU
 
 
Assisti por acidente, quando fui mexer na televisão. Destino. Um belo filme brasileiro. Identifiquei-me com o personagem pricipal.
 
Recomendo muito!

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

REPÚBLICA E VERDADES CARAS

PAVEL MOROZOV

Denunciou o próprio pai á polícia soviética por esconder cereais. Chocado? Sim, mas... Morozov não foi o juiz que condenou o pai e o garoto julgou que o bem comum era mais importante que o afeto. Diante desse puteiro que chamamos de administração pública brasileira, muita gente deseja uma república verdadeira. É? República é algo que custa muito. E não falo de dinheiro.

NIETZSCHE APAIXONADO 21:

Ame a verdade.
Mas ame a verdade pelo motivo certo. Não ame a verdade porque você é covarde demais até para mentir.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

MORTE PELA FOME E O GEORGE AMADO

LLOYDE GEORGE: Um interesse repentino!

Que o racismo possa ser vencido mais facilmente que imaginávamos é uma perspectiva maravilhosa, mas o que me chamou a atenção mesmo foi o medo, o receio dos cientistas em usar termos como "raça"e "racismo". Realmente estamos diante de um assunto doloroso.

Estou me referindo a "Estudo diz que noção de raça é apagável" (Folha de S. Paulo, 11 de dezembro de 2001). Foi uma experiência de memória. Fotos de pessoas e frases. Pessoas diferentes, pessoas com camisetas diferentes e tal. Em pouco tempo os participantes desconsideraram a cor da pele. A experiência foi feita pelo Centro para Psicologia Evolucionista da Universidade da Califórnia, na cidade de Santa Bárbara, Estados Unidos. A matéria foi escrita pelo Marcelo Leite.


Não é piada e não é uma desgraça, é apenas a República Federativa do Brasil. Enquanto crianças indígenas morrem de fome, uma exposição do governo brasileiro sobre cultura indígena faz sucesso na França ("Brasil Índio: as Arte dos Ameríndios", em Grand Palais, Paris)

"O governo, por exemplo, já mandou dizer que a morte dos indiozonhos esta no mesmo padrão do ano anterior, sugerindo que não existe razão para espanto ou preocupação. É mentira. No ano anterior morreram quinze. Agora, nem se passaram três meses do ano e já morreram catorze." - André Petry em "De Dourados a Paris", artigo publicado pela revista Veja em sua edição do dia 30 de março de 2005.


LONGA VIOLÊNCIA: A HISTÓRIA DO SÉCULO XX 11:

Senhoras e senhoras, descobri que gosto muito desse tal de Lloyd George! Fui com a cara desse cara! Enfrentando as injustiças da Sociedade Eduardiana, na Grã-Bretanha no alvorecer do século XX.

NIETZSCHE APAIXONADO 20:

Moderação na humildade. Humildade é importante, mas você também quer se proteger contra erros futuros.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

A PROFUNDIDADE DO MAR E A BANANA NO TRIBUNAL

 
Será que os cientistas conseguiram e em 2010 teríamos um verdadeiro censo da vida marítima como nunca antes?

Jornal O Globo do dia 5 de maio de 2006. Os cientistas tinham conseguido estabelecer um belo feito: coletaram, identificaram, catalogaram e sequenciaram o genoma de 200 espécies marítimas. Mais que o número vale as condições: eram os minúsculos animais que integram o chamado Zooplâncton. Animais minúsculos que são fundamentais para a cadeia alimentar dos mares. Sem os pequenos os médios e os grandes morreriam de fome. Se você procurar imagens desses animais verá como eles são bonitos.

Deixa eu conferir uma coisa.

Opa, eles conseguiram sim! Em 2010 foi terminado o “Censo da Vida Marinha”. Tem entrevista com brasileiro que participou da aventura, Fábio Lang na Revista Galileu . Um trecho: “Já conseguimos dar início aos bancos de dados temáticos sobre os manguezais do Brasil. Isso é inédito no mundo inteiro, pois conseguimos associar os registros dos organismos com a ocorrência das três espécies de árvores de mangue mais comuns no nosso litoral, e que são facilmente reconhecidas por cidadãos comuns.” (Mangue... Isso me lembra o Cerrado sendo destruído muito antes de 1% dele sequer ser estudado...).
Além da entrevista tem um link para o projeto do censo. O site é bonito e merece ser mais bem explorado.


Dia 16 de outubro é o Dia Mundial Anti-McDonald´s. Era em 2000, não sei se ainda é. Não importa, não faltam candidatos a culpados pela fome, pelo desmatamento da Amazônia, pelos problemas cardíacos e pelas luas de Júpiter...

Outro símbolo escolhido para representar o “Mal” era a banana da American Fruit Company. Mas acho que aí havia alguma dose de justiça. Eu tinha um material sobre isso. Sei lá onde tá. Um dia acho. Pela banana! Pela justiça!

Vaca louca era outra coisa que fazia sucesso em 2000. Para economizar alguém teve a ideia de dar carne de vaca para as vacas comerem. Não foi uma ideia muito feliz, como vimos. Acontece. A burrice é poderosa. Burrice movida a ganância é mais poderosa ainda.
(Comentários inspirados em “O mundo esta McFrito”, texto de Diogo Mainard publicado na revista Veja em 29 de novembro de 2000. Um trecho a destacar: “O maior problema é que a comida voltou a ser o principal tema do debate político. Não só no Piauí, onde ainda faz algum sentido, mas na Europa também. A humanidade está retrocedendo.”)

 
NIETZSCHE APAIXONADO 19:
O erro e seus filhotes. O primeiro erro e seus filhotes. Na maioria das vezes o primeiro erro já vem completo: com filhotes e tudo o mais. A pressa, o ato impensado... O segundo erro já vem quase de maneira automática. Curiosidade é que o segundo é um pouco mais lento. Mais lento em sua queda.