Voltaire ajuda

Voltaire ajuda

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

ENSAIO SOBRE A TRISTEZA BRASILEIRA (2 de 6)

MANUEL e YVES: o BRASIL era chocante.


“Numa terra radiosa vive um povo triste.” – Paulo Prado em “Retrato do Brasil – Ensaio sobre a Tristeza Brasileira”.
O livro pode ser o que for, mas saber te fisgar logo na primeira frase não é para qualquer um.

A sede de ouro e a sensualidade renascentista: como a herança portuguesa poderia ser feliz se eles obedeciam a esses impulsos?

O Renascimento na origem do Brasil... Gostei disso. É incomum pensar no Brasil, tão católico, tendo como herança um paganismo tão forte. A livre ação individual contra a obediência antiga. Sinto muito, Companhia de Jesus!

Os frutos desconhecido... A floresta brasileira e seu verde sufocante. Eu sou espanhol e apenas quero ouro, mas antes preciso curvar-me em reverência à essa natureza majestosa. Estou mergulhado.

Mas deslumbre não é amor e Alexander Von Humboldt (1769-1859), cientista alemão, nota que Luis vas de Camões (1524-1580) apenas se interessa pelas especiarias e produtos comerciais. E as plantas nativas, meu grande poeta português? A, só as que tem origem europeia mesmo...
: (

Ô Paulo Prado, eu não sei francês! Sua marmota, porque tu não traduziu as palavras do Yves d´Êvereux? Arght!

As índias peladas do Maranhão e o caráter dos homens europeus que primeiro chegaram ao Novo Mundo.

Três Adãos brasileiros:
Jerônimo de Albuquerque,
Diogo Alvares Caramuru
eJoão Ramalho.

As primeiras Evas de origem europeia demoraram pelos menos 50 anos para chegar ao Brasil.

O prazer sexual em todas as suas formas, saudáveis ou não.

Desigualdade social? Claro, mas que pergunta besta.

Ah, e os ministros da Justiça eram facilmente corruptíveis. Segundo frei Manuel Calado as vezes alguns sacos de açúcar eram suficientes.

José de Anchieta:
“[...] lãs mujeres andan desnudas y no se saben negar a ninguno, mas aun ellas mismas acometen y importunam lós hombres achando-se com ellos em lãs redes; porque tienen por honra dormir com lós ianos...”

O homem era o agente e a mulher, qualquer mulher, não contava: era um pouco mais do que um objeto. Com o machismo estruturado já na época colonial... Podemos imaginar como é difícil combatê-lo.
(Obrigado Paulo da Silva Prado e Nova Aguilar!)

 
NIETZSCHE APAIXONADO 11:

Não é qualquer povo que canta. Apenas alguns cantam. Os que podem. Os russos cantam.
Criticamos os russos. Dizemos que eles são maus. Isso é algo “míope” de se dizer. Sim, os russos são maus, mas na verdade isso acaba sendo um elogio. Um elogio diante da justeza de nossos critérios.

CRÉDITO DAS IMAGENS USADAS AQUI:
A imagem do Frei Manuel Calado foi encontrado no site Skoob , mas especificamente aqui .
A imgem do livro de Yves d´Êvereux foi encontrado no site da AMAZON. Tive problemas técnicos com ele, daí não ter colocado o link dele aqui. Mas acho que isso só acontecerá comigo.
É importante notar: a dificuldade de encontrar imagens das pessoas desse período da história do Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, tudo jóia?
Escreva um comentário e participe.