Voltaire ajuda

Voltaire ajuda

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

LEMBRANÇAS ALEGRES

E a moça protestava jogando garrafas de cerveja vazia em cima de quem matava a esperança. Matar esperanças é errado, mas jogar garrafas também. Ainda bem que ninguém se feriu, me lembra o Moacir Werneck de Castro a respeito do episódio ocorrido em... 1964.

Mas se não se deve jogar garrafas, deve-se jogar o quê?
Palavras.
Mais sonhos.
Mais desejos.
Realizações.
Lembrança de que o Brasil é nosso e não deles.
O nosso sorriso.
União.
Justiça.

Um silêncio que não nos incomode, é um bom texte para a amizade. Isso quem lembra é o Rubem Alves. As vezes basta a presença silenciosa ou nem isso. Basta a lembrança: eu tenho um amigo.

E muita coisa.
Associar a idéia de morte a coisas alegres.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

POEMA SEM QUERER QUERENDO

Existe porque existe. Tem que ser gratuíto.
Independente de tudo que não for ele mesmo.
Feliz só quando se olha no espelho, não se importando se chove ou faz sol.
O ritmo é dele e ele decide quando começa ou para. A pista é qualquer lugar.
A razão do afeto. Da simpatia que é mesmo quase amor. Ou não. E isso importa?

TEXTO DE NÚMERO 500

Nós só precisamos de Amor.