Voltaire ajuda

Voltaire ajuda

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Não resisti ...

A partilha dos livros de meu avô paterno. Deus, Natureza, Charlie Chaplin, Tchaikovski e Kafka sabem que eu resiti. Fingia que não ouvia meu pai falar sobre o assunto e, portanto, nem pressionei ele. No dia da partilha, fiz questão de não ir.

Quando meu pai volta, a surpresa: não eram todos os livros que foram divididos. Só os livros que estavam na garagem. E não teve o "dia da partilha", os irmão já tinham pego os livros antes. Pelo menos, foi o que pareceu. Meu pai foi o último a pegar os livros.

Dos livros que ele pegou, só me interessei por uns 5. E olhe lá.

Faltava os livros que estavam na sala. Apenas os principais. Mandei meu pudor ir para o Havaí. Fiquei pressionando o meu pai que, agora, estava mais reticente.

Deu certo. Desta vez eu estava lá e fomos um dos três que pagaram os livros (faltaram dois tios, mas eles não faziam tanta questão dos livros). Com vergonha e com desejo também, peguei os livros que me interessaram.

Modéstia a parte, tenho orgulho de meu bom gosto. Eis a lista:

ORAÇÕES - Cícero (vou ler em voz alta, como devemos fazer ao ler poesia e me tornar um bom orador!)

A BAGACEIRA - José Américo de Almeida (foi o Jorge Amado que "me disse" que este livro é importante )

INQUIETAÇÃO E REBELDIA - Aires da Mata Machado Filho (fui atraído pelo título. Não conheço o autor)
O ENIGMA DE ALEIJADINHO E OUTROS ESTUDOS MINEIROS - Aires da Mata Machado Filho (aproveitei e resolvi pegar mais um livro deste autor. Gosto muito dessa história de "ser mineiro" )

SATIRICON - Petrônio (um clássico imortal que me parece ter um enredo divertido)

O REPOUSO DO GUERREIRO - Christiane Rochefort ( uma história de amor. Quem não gosta disso? )

O DIA DO CHACAL - Frederick Forsyth ( nunca li um romance policial, um romance de espionagem. Acho que esse clássico comteporâneo pode ser um bom começo )

CARTAS DO PEQUENO PRÍNCIPE - Antoine de Saint-Exupéry ( sem comentários)

GUERRA SANTA NAS MALVINAS - HISTÓRIA DE UMA DERROTA - Antônio Cabral, Hugo Martinez, Marcos Wilson e Roberto Godoy. ( A história da guerra é interessante, claro; mas me interessei por este livro devido a sua última parte, onde podemos conhecer pelo menos 10 focos de tensão em toda a América Latina)


Tomara que a leitura desses livros me faça bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, tudo jóia?
Escreva um comentário e participe.