Voltaire ajuda

Voltaire ajuda

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Estado laico com enfeites religiosos ou culturais?

Tirar os símbolos religiosos das repartições públicas? Logo no maior país católico do mundo?
Isso nunca irá acontecer. E, pessoalmente, até acho errado. Acho, pois isso é uma questão cultural e não religiosa. Os portugueses que aqui chegaram eram católicos. O catolicismo faz parte da origem do Brasil e de seus governantes.

Temos aqui uma polêmica enorme. Um grupo, o Brasil para Todos, entrou com uma ação civil pública pedindo que sejam retirados os símbolos religiosos das repartições públicas.

O que vocês acham?

Dito isso, devo acrescentar que vejo com muita curiosidade a reação de Reinaldo Azevedo, blogueiro da Revista Veja.

Trechos dos últimos textos seus. Em negrito, os meus comentários.

Um dos critérios para não publicar comentários em seu blog."
1 – quando vêm eivado de boçalidades anti-religiosas de gente que baba seu rancor contra o cristianismo, o catolicismo etc. Não raro, o ataque vem ancorado numa espantosa ignorância sobre religião; "

“ataque”, “boçalidades”, “de gente que baba o seu rancor”.
Se entendessem o que é Religião, iriam concordar com Reinaldo Azevedo. É?



"Uma coisa é defender firmemente que a religião não degenere em fanatismo e sectarismo; outra, distinta, é perseguir fanática e sectariamente os que fazem questão de evidenciar a sua religião. "

A ideologia da direita é a ideologia do medo. Simone Beavoir disse isso, não? Estamos tratando de uma questão judicial, mas Reinaldo Azevedo já vê, no futuro próximo, perseguições terríveis.

"Parece tudo tão óbvio, não? Parece tudo tão evidente: se é laico, sem símbolos religiosos. Pronto! Não! Pronto nada! De jeito nenhum! Houvesse a obrigatoriedade de se exibir o crucifixo nessas repartições, eu estaria entre aqueles a lutar pela mudança da lei. Mas não é assim. "

Graças a Deus não precisamos lutar, já que o Brasil já é o maior país católico do mundo e os crucifixos já estão nas repartições públicas por questão cultural. Quando nascemos já era assim.

"Como fica evidente, trata-se da expressão de minorias religiosas. Que têm todo o direito de se manifestar. Aliás, é justamente o regime de tolerância propiciado, felizmente, pelo cristianismo que lhes garante lutar para que se apaguem da vida pública brasileira os sinais do… cristianismo. Essa gente seria realmente corajosa, valente, se decidisse, sei lá, pedir que o Irã eliminasse os sinais do islamismo da vida pública — imagem de Maomé, não, porque não pode… "

Minorias religiosas que, sem saber, estão traindo o que lhes permite existir: o cristianismo. Reinaldo Azevedo aproveita para no final, fazer uma ironia. É claro, os lugares das religiões tem que estar bem definidos e faltava uma.

"Que esses doutores reflitam se não estão tentando, a exemplo dos racialistas, trazer para o Brasil um conflito que não existe, importando tensões que não estão presentes entre nós ou que têm sido equacionadas no espaço da convivência democrática."

Não existe conflito religioso no Brasil? Parece que não. Ou não muito. (risos)
Depois de tanta firmeza e pessimismo, Reinaldo Azevedo termina com o tempero da ingenuidade. Impressionante.



COMENTÁRIO FINAL
Quem é que decide colocar símbolos católicos nas repartições públicas? Ninguém é obrigado a fazer isso. Esse detalhe é fundamental.

O que vocês acham?
Queria saber a opinião de vocês. Escrevam! Quero saber se estou errado, se estou certo e se não estou em lugar algum. rs.

ATUALIZAÇÃO 9 e 45 da manhã do dia 6 de agosto.

O texto acima foi escrito ontem a noite. Ligo a internet agora de manhã e vejo que Reinaldo Azevedo já fala em Lênin e as mortes da revolução russa, a derrubada do Cristo Redentor e em perdão ao que Robespierre fez.
Uau!

Cito mais um trecho de um texto dele.
“Finalmente, respondo a uma questão que andou aparecendo aqui e ali. Entrando em confronto, inclusive, com alguns amigos conservadores, critiquei a chamada Lei do Véu na França. Acho um absurdo que se proíba o uso do véu numa escola porque é “é um espaço laico, e aqui somos todos republicanos”. Ora… Se é para conter o Islã, em vez de conter, atiça. Mais: deu-se asa uma tolice e a uma inverdade. Proibiram-se tanto o véu islâmico como o crucifixo, o que significa que, para a República francesa, véu e crucifixo tiveram, na formação daquele povo, a mesma importância — ou a mesma desimportância. É uma asnice. “

Leia com atenção. Achei o “calcanhar de Aquiles” dele. Eu acho.

Meu pai, ateu convicto, concorda que esta ação civil é errada e que pode sim, trazer conflitos religiosos para o Brasil.
É pela educação que devemos mudar, essa decisão não pode vir de cima para baixo. “Isso é autoritalismo”, diz meu pai.
E completa:
“Para mim, talvez isso seja para desestabilizar o país, justamente agora que o Brasil está cada vez mais independente economicamente.”
Teoria da conspiração de meu pai? Talvez. Mas é bom lembrar que a América Latina está pegando fogo.

MORAL DA HISTÓRIA OU VERDADE ABSOLUTA 00001

Respeitem a história do Brasil.

Religião se metendo em política? Também não gosto, mas devemos ter cuidado ao combater. Corremos o risco de jogar fora a água quente, o bebê, a babá, a mãe, o pai, o cunhado parasita, a avó e etc.

Que deus abençoe meu catolicismo não praticante.
= )

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, tudo jóia?
Escreva um comentário e participe.